Topo

Artigos

Sylvia Maria Mendonça do Amaral

Sobre o autor:

Sylvia Maria Mendonça do Amaral

Advogada especialista em Direito Homoafetivo e Família e Sucessões do escritório Mendonça do Amaral Advocacia, autora do livro “Manual Prático dos Direitos de Homossexuais e Transexuais” e editora do site Amor Legal. São Paulo – São Paulo


E-Mail: smma@smma.adv.br

Panfletos e o direito autoral

Guardadas as devidas exceções, a maioria das lojas de departamento e redes de
supermercados, que oferecem seus produtos através de catálogos e panfletos promocionais a seus consumidores, tem desrespeitado os direitos autorais dos fotógrafos contratados para a execução desse trabalho.

Isso porque essas empresas acabam utilizando as fotos dos produtos desses catálogos ou de
panfletos comerciais em outras promoções, durante todo o ano ou indefinidamente.

Ou, ainda, mantêm essas fotos em seu banco de imagens, utilizando-as comercialmente em
beneficio próprio, sem qualquer compensação pecuniária ao fotógrafo autor.

Para evitar o problema de violação de direito autoral do fotógrafo, não ocorrendo a cessão absoluta das fotos produzidas para o contratante, os contratos firmados devem estabelecer claramente o tempo de veiculação da foto, qual a mídia a ser utilizada e qual a abrangência territorial da foto. Essas cláusulas contratuais delimitam o uso das fotos e resguardam os direitos autorais.

Sem isso estamos em terreno perigoso e, mais dia menos dia, ocorrerá um litígio judicial, muito provavelmente favorável ao autor das fotos. Vivemos em um país onde o desrespeito ao direito do autor é uma triste constatação, mas esse quadro de impunidade tem mudado através do esforço e vigilância de todos – advogados, autores e fotógrafos. Também as empresas, aos poucos, ganham consciência de que devem se ater aos limites dos contratos firmados com seus prestadores.

Não há marketing pior para qualquer empresa do que a exposição pública e judicial de violação dos direitos autorais de seus prestadores de serviços, o que deixa a sensação de que pode agir de forma ilegal mesmo internamente, colocando em dúvida até a integridade dos produtos que comercializa.




--------------------
Por Sylvia Maria Mendonça do Amaral.
Advogada de Direito Civil e Direito de Família e Sucessões, especialista em indenizações e sócia fundadora do escritório Mendonça do Amaral
Advocacia. São Paulo – S. P.


Por Paulo Roberto Visani Rossi.
Advogado de Direito Autoral, especialista em entretenimento. São Paulo – S. P.
E-mail: paulo@smma.adv.br

© 2017 - Jornal Direitos - Todos os direitos reservados
By inforsis and CL